15 de fev de 2017

Eu me punia comendo

Depoimento de Elisangela Peneluca, paciente Salvador/Bahia





















Tomei uma das mais importantes decisões de minha vida: mudar. Chorei diante de meu Deus e Pai, pedindo que Ele por sua graça e misericórdia me guiasse em tudo. Uma semana depois, através de uma amiga em comum Ele me fez conhecer um anjo chamado Camila Sacramento, que me ajudou durante todo meu processo, dando-me força, tirando minhas dúvidas e medos, apresentando outro lindo anjo, Central da Obesidade, Dr. Carlos Mello, médico e um ser humano espetacular, e fiz minha cirurgia Bariátrica.

Foram 6 meses de preparação, enfim, em 5 de fevereiro de 2016, renasci!
Neste caminho, como sempre em nossas vidas, encontrei pessoas que só usaram de palavras preconceituosas e maldosas para que isso não acontecesse, mas foquei em quem realmente me amava: família, amigos, irmãos da igreja, e o meu tripé que funciona sempre, me fazendo o que eu sou, minha mãe 
Sueli Guimarães, minha irmã Raquel Guimarães, e meu amado amigo e esposo Matheus Peneluca. Se hoje estou neste processo de ser alguém que busca melhorar em físico, mente e alma, é por vocês três e para meu filho lindo que me ama.

Contudo, existem pessoas que são lindas, mesmo acima do peso, e isso não as fazem infeliz, porém além de não me aceitar eu não me amava, me punia comendo e isso me fazia mal. ENTAO vai aqui uma dica, nunca chame alguém de gorda, ou magricela, chame a pessoa por seu nome, pois você nunca saberá se aquela condição física é algo que não a faz feliz. 


Valeu pelo apoio, Vany Diaz, 
Caroline Paes, Milene Araújo, Sara Dias, Dilma Liberato, vocês também fizeram parte desse processo!
#magralindaeblack

Nenhum comentário: