4 de dez de 2015

Da luta a Vitória

Depoimento de Delnice Alves, operada da Central de Santo Antonio de Jesus (Bahia)





















Não há nada pior do que não se reconhecer no corpo que possui. E foi exatamente assim que vivi durante longos anos de minha vida. Eu fui uma criança “cheinha”, nunca tive problemas em me alimentar, na verdade sempre gostei de tudo. Na adolescência, emagreci, e só voltei a ganhar peso após o nascimento da minha primeira filha, aos 21 anos. Nesta época também, comecei a usar corticoides durante 7 anos para controlar um suposto problema alérgico, que mais tarde seria diagnosticado como angioedema hereditário tipo 3.  Diante deste e de outros fatores, fui engordando, e fazendo da comida a válvula de escape para cada decepção ou alegria que surgia.  Descontente com meu peso, aderi ao uso de fórmulas para emagrecer, de anfetaminas, de femproporex, sibutraminas e outros anorexígenos, além das famosas dietas da moda, e das dietas acompanhadas por profissionais de nutrição. Como o esperado, cada vez que parava de tomar esses remédios, engordava de novo. A cada quilo que eu ganhava, descontava na comida a frustração de não conseguir obter sucesso na empreitada de voltar à forma física que tinha na adolescência. Com o excesso de peso, surgiram problemas de saúde, como diabetes, esteatose hepática, problemas nos joelhos, agravamento da falta de ar, apneia obstrutiva do sono, acompanhados pela baixa auto estima  e pela sensação de impotência para reverter este quadro.

Em meados de 2013, dois amigos que já tinham realizado a cirurgia bariátrica, reacenderam a esperança de reaver minha saúde e autoestima ao me indicarem a Central da Obesidade, e então fiz a minha primeira consulta com o Dr. Carlos Augusto. Existia a preocupação em passar por uma intervenção cirúrgica, por ter o angioedema hereditário, mas ao conversar com o especialista que me acompanha, este foi favorável à cirurgia, desde que antes eu fizesse uma profilaxia com plasma sanguíneo. 

Então, comecei a fazer as consultas e exames solicitados e no início de 2014, já estava com todos os exames prontos para a tão esperada cirurgia. Em fevereiro, solicitei liberação do plano de saúde, a qual foi negada. Entrei então com uma liminar, que garantiu que o procedimento seria feito. Minha cirurgia então foi marcada para abril, entretanto, houve um problema com uma outra paciente operada, e remarcamos para maio! Meu Deus, a ansiedade gritava dentro de mim, mas tive que esperar mais uns dias! E quando já estava me preparando para viajar, peguei uma das piores gripes que já tive, faltando apenas 1 semana para operar. Mais uma vez adiamos, desta vez seria em 18 de junho. E no dia 17 de junho assisti o jogo do Brasil X México, já internada! Dormi tranquilamente e no dia 18 passei pelo procedimento da transfusão de plasma sanguíneo, e quando estava a caminho do centro cirúrgico, tive um edema no lábio e na garganta! Diante do risco que eu correria, caso operasse, a equipe médica resolveu adiar mais uma vez o procedimento, e só fazê-lo quando dispuséssemos de um medicamento específico para meu caso. Ninguém imagina o tamanho da minha frustração, minha família tentava me dissuadir da ideia de operar, meus amigos idem. Mas, eu me fortaleci, enxuguei as lágrimas e corri atrás deste medicamento.

Finalmente, em 5 de agosto de 2014, mais uma vez me internei, e durante a noite tive um sonho tão lindo, que me fez ter a certeza de que desta vez minha vitória chegaria. Às 8h da manhã entrei no centro cirúrgico, minha cirurgia demorou um pouco mais que 4 horas, pois graças à experiência e competência de Dr. Carlos, foi descoberto ali mesmo, que parte do meu intestino estava colada na parede abdominal, e foi feito mais este procedimento além da bariátrica.

Hoje, passados exatos 1 ano e 4 dias do meu renascimento, só tenho a agradecer, em primeiro lugar à Deus, que plantou em mim uma fé, que até eu desconhecia, à toda equipe da Central da Obesidade, à equipe do Hospital da Sagrada Família, e em especial à Dr. Carlos, não apenas pelo profissionalismo e por ser este ser humano maravilhoso.
Hoje, me sinto mais saudável, mais feliz, mais forte! Enfim, consigo me reconhecer neste corpo que possuo!

Delnice Cardoso Alves Veiga
Peso  em 06/08/2014: 101 kg
Peso atual: 61,2 Kg.

Nenhum comentário: