20 de set de 2015

Eu me enxergo, eu me amo

Depoimento emocionante de Carla Jeanyne Póvoas, da Central Maceió


(antes e durante)




(antes e durante)




(antes e durante)



É.... finalmente cheguei aos dois dígitos tão esperado. Só sabe a ansiedade e a luta quem passa por isso. Em 7 meses de bariátrica já eliminei 44 quilos.

As pessoas falam que perder peso é fácil. Eu bato palmas de pé para quem consegue, porque eu nunca consegui. Tomei fórmulas a vida toda para perder peso. O pior cego é aquele que não enxerga, ne? Então, eu era assim. Não me via obesa, gorda. Na verdade, eu não me via. Eu amava os outros demais e não conseguia me amar. Cheguei ao ponto de ir em uma psicóloga. E foi ela quem abriu meus olhos. Ela me disse que o problema era que eu não me enxergava. E aquilo ficou na minha mente... Quando comecei a passar muito mal, ir aos médicos, fazer exames, os resultados vieram e era sempre a mesma coisa: O PROBLEMA É A GORDURA. VOCÊ É GORDA. VOCÊ É OBESA. 


Um dia, a minha psicóloga disse: Carla, vamos causar? Vamos nos preparar para bariátrica? Vamos mostrar a quem diz que você não é capaz que você entrará nessa, fará a cirurgia e vai se superar?!

Foi quando procurei a minha mãe e contei o caso. E ela disse, meio desconfiada, que eu sempre desistia de tudo. Ela me disse: faça, minha filha, esta cirurgia, que eu entro de cabeça com você. E eu só precisava disso: apoio dos meus pais e família. 


E aí comecei minha luta. 
Uns zombavam. Outros duvidavam. Outros nem acreditavam. 
Todas as etapas, todas mesmo, fiz SOZINHA. 
Cada LAUDO que peguei era uma conquista ÚNICA. 
Quantas vezes fui sozinha comemorar e chorar no banheiro do Hapvida? MUITAS.

E aí comecei a ficar metida (risos). Dra. Cinthia dizia: você vai passar por isso. E eu falava: eu passo. Você nunca mais comerá isso. E eu dizia: não como.

Um dia, chegou a tão esperada cirurgia. No dia de ir viajar para operar caiu a ficha. "Nossa, vou para Salvador sem pai, mãe, filhos, marido, irmãos. Vou passar mais esse processo SOZINHA". (todos me apoiavam mas estavam ocupados e não podiam ir comigo na época).

E aí lembrei o que a psicóloga disse: Carla, toda Vitória tem um preço, você é guerreira, você chegou até aqui com toda essa garra e agora vai fraquejar?! MOSTRE QUE VOCÊ É A CARLA QUE MUITOS NÃO CONHECEM. ENFRENTE ESSA SÓ MAIS UMA VEZ. PORQUE É POR ELES QUE VOCÊ ESTÁ SE CUIDANDO...

Oxe, fui embora na hora.

Porque, na verdade, a minha cirurgia o objetivo era saúde. Totalmente. Deus sabe que eu nunca faria para ser gostosa.. Mas se ele me deixar gostosa... Kkkkk.. eu agradeço... kkkkkkkk

Foi aí que descobri que realmente eu não amava ninguém, porque quem não se ama, não tem capacidade de amar o próximo. 

É... passei por todo processo sem nunca ter sequer dado um trabalho a ninguém. Nunca passei mal que precisasse ser internada. Às vezes, passei um enjoo ou vômito, mas foi porque não segui as regras e aí tive as consequências.

Hoje, com 7 meses de cirurgia, eliminados 44 quilos só tenho a dizer o seguinte: APRENDI A ME AMAR COM FORÇA. APRENDI QUE SOU GUERREIRA. QUE NÃO PRECISAVA NINGUÉM PARA ME ELOGIAR PORQUE SEI QUE SOU TUDO DE POSITIVO NESSA VIDA. QUE EU SOU AQUILO QUE QUERO SER. BASTA EU QUERER.

E nesse caminho que estou trilhando a Vitória é do Senhor que me dá forças para cada dia continuar.



Nenhum comentário: