21 de jan de 2014

Renascimento

Depoimento de Viviane Barros, operada há 1 ano pela Central

 


 (foto atual) 

(foto atual)


Eu não tinha a mínima noção do quanto minha vida era importante! Eu só comecei a ter uma noção a partir do dia 17.10.2012 quando me submeti a cirurgia de redução de estômago. Já tenho 1 ano de operada. 1 ano intenso em todos os sentidos. Em cada grama perdida, em cada peso perdido, eu fui encontrando uma nova Viviane, uma Viviane que estava escondida nos seus 123 kg. Hoje com 43 kg a menos, a Viviane de hoje não quer NUNCA MAIS ser a de antes.


Sempre fui gordinha, mas depois que descobri um problema sério de coluna, a minha vida desmoronou. Começou quando tive que deixar o que eu mais amava na vida: dançar. Eu dançava há 8 anos e deixar a dança foi muito doloroso, parecia que faltava algo em minha vida e comecei a entrar em depressão. Foi quando as coisas começaram a piorar. Eu só engordava, estava cheia de limitações, não aguentava caminhar 100 metros que logo precisava sentar, porque a dor era imensa. Passei a não sair mais de casa, não ia mais a festas familiares, os meus fins de semanas se resumiam a ficar em casa deitada em minha cama, tomando remédios para aliviar minhas dores. Às vezes, batia o desespero, porque eu não entendia como eu tomava tanto remédio e as dores não passavam. Eu chorava pedindo forças a Deus para suportar tudo isso. O neurocirurgião disse que não podia me operar da coluna por conta do meu peso e me indicou a cirurgia bariátrica. Foi aí que eu encontrei pela primeira vez o Dr. Carlos Augusto que, com toda atenção e carinho por seus pacientes, me convenceu que seria o melhor caminho a ser tomado no momento.


Quando vejo tudo que passei de felicidade nesse 1 ano de operada eu me emociono, a minha vida deu uma reviravolta. A cada mês que passava era uma vitória com os quilos perdidos. A autoestima e a confiança foram coisas que essa cirurgia me proporcionou e não tem dinheiro no mundo que pague. As dores na minha coluna começaram a aliviar e, hoje em dia, já me encontro 80% melhor. Meu neurocirurgião diz que não precisarei operar mais e, se tudo der certo, no futuro próximo voltarei para a dança! 


Não canso de agradecer a Deus e, ao seu instrumento aqui na terra, Dr. Carlos Augusto. Um homem excepcional, humano, dedicado na sua profissão, que sabe tratar as pessoas que são obesas com um carinho, como se fossem da sua família, com a gentileza de alguém que não é seu parente, mas que se preocupa com seu bem e com sua saúde sempre. Obrigada, Doutor!


Ainda não estou no meu peso ideal, mas falta bem pouco agora e, como não posso fazer uma atividade física mais intensa, por conta da coluna, vou me esforçando do jeito que posso para atingir a minha meta. Com a grande confiança que sinto em mim mesma, sei que conseguirei! Hoje, eu digo que faria tudo novamente e passaria por tudo novamente. Portanto, quem estiver ainda na indecisão de fazer ou não a cirurgia pense no seu melhor, pense em você e na sua felicidade, que a coragem logo vem em seguida!

Um beijo no coração, Viviane Barros.

Nenhum comentário: